13 de mai de 2012

As Grandes Navegações

   Vamos estudar um pouco sobre as Grandes Navegações.

Contexto Geral

   Vamos começar com uma ideia geral do período. Portugueses e espanhóis saíram em busca de novas rotas marítimas rumo à Ásia (Índias). O objetivo comercial era a busca de especiarias, isto é, produtos como cravo, canela, óleos, que eram utilizados como temperos, conservantes, perfumes, remédios, oriundos do clima tropical.

especiais e as grandes navegações
As especiarias geraram um acúmulo de riquezas por parte dos comerciantes europeus.


   Na época das grandes navegações o conhecimento do “mundo” era ainda restrito às terras europeias, africanas e asiáticas. Os europeus que são o ponto de partida para o entendimento das navegações, conheciam apenas partes do continente africano e asiático,  observe os mapas abaixo e visualize as diferentes dimensões.


o mapa múndi e o imaginário medieval
Mapa múndi do século XV.


mapa atual com rotas do século XV
Mapa-múndi atual com a delimitação do mapa do século XV.



   A literatura e as crendices alimentavam a imaginação dos europeus na época das navegações, seres mitológicos povoavam os mares, que eram limitados por grandes abismos.


abismos nos mares
Os abismos do Mar Tenebroso

essas criaturas habitavam o mar (imaginário)
Gravura do século XVI de Sebastian Münster, ilustrando  algumas criaturas que habitavam o Mar Tenebroso.



O povoamento do planeta pelos Homo Sapiens

   Como já estudamos em outras aulas, os continentes foram povoados pelos homo sapiens nos últimos milhares de anos. A teoria denominada out off África (para fora da áfrica) ilustrada abaixo, demonstra supostamente o percurso de nossos ancestrais sapiens e neanthertais. Os números em vermelho são estimativas da chegada dos homens em cada continente em milhares de anos.



teoria de povoamento





   Os europeus não sabiam dessa história, ou seja, não supunham a existência do continente “americano”. Vamos voltar para os dois reinos pioneiros no processo de grandes navegações, Portugal e Espanha, para entender melhor.


Os povos navegantes

Os portugueses

   O reino de Portugal surge no contexto da guerra de Reconquista, como já estudamos na aula: Guerra de Reconquista e Formação de Portugal.
   Posteriormente a centralização do poder nas mãos de algumas dinastias paralelamente ao fortalecimento da burguesia, aliada á necessidades de encontrar um novo caminho para as “Indias”,  fez com que os portugueses se aventurassem "por mares nunca dantes navegados”.
   De uma outra maneira, rei e burguesia (comercial) se uniram, para encontrarem um caminho para as Índias, terra de especiarias e riquezas .


rota das especiarias terra e mar



   As mercadorias do oriente eram levadas por terra seguindo a rota traçada em vermelho e por terra e mar na rota azulaté Constantinopla, de onde eram redistribuídas por mercadores da Península Itálica para o restante da Europa (rota traçada em verde), o que inviabilizava a obtenção de altos lucros pelos comerciantes portugueses.
      O caminho escolhido pelos lusitanos foi a costa africana, desde o início do século XV, os portugueses se aventuraram pelos mares em busca de mercadorias e novas terras. Criaram feitorias e entrepostos comerciais ao longo da costa africana, aprenderem a cultivar cana de açúcar e tiveram contato com práticas de escravidão, que posteriormente foi a base da exploração da América.
   
   Os portugueses demoraram pouco menos de um século para alcançarem a cidade de Calicute, na Ásia, importante centro comercial, que possibilitou enormes lucros a burguesia comercial.

rota portuguesa
Rota de Vasco da Gama, navegador lusitano que primeiro alcançou  as famosas Índias via costa africana. Seus feitos foram narrados por Camões na epopeia intitulada: "Os Lusíadas".

Os espanhóis

   A formação do estado nacional espanhol também surgiu no contexto da Reconquista, no entanto, a unificação dos reinos que formaram o reino da Espanha foi tardia, se comparado ao português.
    Logo após a unificação, os reis Fernando de Aragão e Isabel de Castela financiaram o navegador e estudioso genovês Cristovão Colombo.
   Colombo defendia a tese de que era possível chegar em poucas semanas as índias, navegando do Oeste para o Leste. A ideia do genovês estava correta, todavia ele não contava com a presença de um novo continente, posteriormente batizado como “América”.

chegada de colombo América
Observe a rota de navegação de Colombo, que chegou ao novo continente em 1492. 



As grandes Navegações, coexistência de fatores

   As grandes navegações surgiram graças a um série de fatores:

   Do ponto de vista político, ocorreu graças a centralização do poder nas mãos do rei.
   Do ponto de vista econômico, graças a necessidade dos burgueses ampliarem seus negócios
   Do ponto de vista religioso, da necessidade dos católicos de levarem sua fé a novos povos
   Do ponto de vista tecnológico, da existência de instrumentos de navegação como o sextante, a bússola, o astrolábio e das naus e caravelas.
   Do ponto de vista geográfico, da localização privilegiada da península Ibérica.
   Do ponto de vista cartográfico, da existência de áreas de trocas de informações, como a “escola de Sagres”


Alguns instrumentos de Navegação:


tecnologia navegação


A literatura e as grandes navegações

   As grandes navegações alimentaram a imaginação de alguns poetas e escritores, dois dos maiores nomes da literatura portuguesa e mundial, Luís Vaz de Camões e Fernando Pessoa descreveram esse processo de forma poética e crítica. 
   Nessas duas estrofes de Fernando Pessoa, as navegações causam uma série de percalços para os portugueses, mas  por outro lado foram necessárias para quem almejava mudanças e glórias.


Mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!


Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa

Algumas Conclusões

   As grandes navegações foi um processo iniciado por portugueses e espanhóis em busca de novas rotas comerciais. A política mercantilista visava o enriquecimento e acúmulo de riquezas pelos reinos. Graças a essa política econômica, aliada a outros fatores, como o desenvolvimento tecnológico e a expansão religiosa foi possível um encontro de culturas e fases de desenvolvimento evolutivo. 
   Anteriormente, o estilo de vida nômade, ocasionou diversas migrações dos homo sapiens (out off África). Os continentes foram povoados, posteriormente, o estilo de vida sedentário distanciou parte da espécie, que viria a se encontrar graças as grandes navegações. 
   Por outro lado, esse encontro foi responsável pela supremacia dos homo sapiens europeus, que dominaram e subjugaram os americanos, sem falar dos africanos que foram remanejados para suprir as necessidades de produção, mas isso já é história para uma próxima aula. 
Bons Estudos,
Professor Rafael.

Assuntos Interessantes:
Os gênios do Renascimento
Renascimento Italiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...