1 de mai de 2012

A crise de 1929


   Imagine uma pessoa alegre, feliz por ter o melhor emprego de sua cidade, tudo vai muito bem, até que num belo dia acontece um acidente, essa pessoa perde familiares entra em depressão, perde seu emprego e tudo que tinha conseguido até então. 

Com o passar dos anos ela consegue se reerguer, consegue seu emprego, novamente volta a crescer.

   Isso é apenas uma história fictícia, mas de certa forma representa o que aconteceu nos E.U.A no final da década de 1920.

.

Final da Primeira Guerra

   Os E.U.A entraram no final da Primeira Guerra Mundial ao lado da Tríplice Entente. Em pouco tempo a Entende vence os aliados. A maioria dos países envolvidos terminam a guerra com suas economias em crise, o que não acontece com os E.U.A.
Os Estados Unidos tornaram-se a primeira potência mundial, sua economia havia lucrado com a guerra e não parava de crescer.



O grande Boom, dos anos 20.


   A economia americana não parava de crescer, fornecia produtos para grande parte do mundo e também comprava.
Era um tempo de grande euforia, desenvolvimento científico, mudanças culturais, entretenimento, cinema, teatro, grandes rádios, vida noturna, moda,  época do Jazz, dos clubes  e de grande consumo.

                                Os loucos anos 20
imagem que retrata os avanços culturais e a
grande euforia da década de 1920.
American ?Way of Life
O modelo de vida americano tornou-se rapidamente o modelo a ser seguido. 
O modo de vida americano influenciou e ainda
 influencia o mundo através de sua
indústria cinematográfica.
O crack da Bolsa (1929)

Grande parte da população investia seu dinheiro em ações, o que lhe rendia lucros, a economia crescia a passos largos.
Com o passar do tempo, o crescimento diminuiu. Os países europeus se recuperaram da crise. As empresas continuaram produzindo em um ritmo intenso (superprodução), o mesmo não ocorrendo com o consumo que caiu  (subconsumo).
A Bolsa de Valores quebrou (crack) levando as empresas e  bancos à falência. Consequentemente a população perdeu seu emprego, poder de compra, o que repercutiu por toda a economia dos Estados Unidos e de outros países, já que grande parte das economias do mundo dependiam dos E.U.A. (globalização).




Ciclos do Capitalismo

O Sistema Capitalista caracteriza-se por períodos de crescimento, recessão, crises e revitalizações, o quadro a seguir demonstra essas etapas:


Fonte: historianet.com.br
          Imagens da Crise

A crise não foi fácil, muitas pessoas perderam seus empregos, famílias perderam tudo, muitos passaram fome.



A crise no mundo

   Diversos países sofreram com a crise (globalização) pois dependiam das importações americanas. Os brasileiros exportavam grande parte de sua produção de café para os E.U.A. Com a crise muitos fazendeiros não tinham para quem vender seus produtos.


Na época da crise o café era o principal 
produto brasileiro, movimentava grande 
parte da economia brasileira.
A solução encontrada por Vargas

   A solução encontrada pelo presidente Getúlio Vargas foi comprar parte Da produção dos fazendeiros e queimar o produto. Assim diminuía-se a quantidade do produto no mercado mantendo os preços, o que evitava a falência dos produtores.
A compra do café pelo governo brasileiro diminuiu
 as reservas do mercado mantendo
 os preços em tempos de crise
O New Deal

Franklin Delano Roosevelt eleito em 1933 implantou uma o novo plano (New Deal) a política consistia em:
Interferir e controlar os preços da produção de indústrias e fazendas, diminuindo a inflação e o estoque da produção.
Investir  na contratação de operários para trabalharem em obras públicas (pontes, estradas, praças, saneamento básico...), o que diminuiu grande parte do desemprego.
A política foi responsável pela recuperação e saída da economia dos E.U.A da crise, voltando a seu funcionamento normal.

         O Fim da Crise

O investimento em obras públicas foi uma das medidas
 que revitalizou a economia americana.


Assistam a aula que preparei no formato ppt (power point)

Bons estudos,
Professor Rafael.


5 comentários:

  1. a aula no power point ficou bem legal e facil de entender!!

    ResponderExcluir
  2. Olá Gabiih,
    Vou montar mais aulas em power point. Fica fácil de visualizar e dá para aproveitar em sala de aula.
    abraço.

    ResponderExcluir
  3. Daniele 8ªA nº04
    A crise de 1929, foi aqueda da bolsa de valores, que afetou o mundo inteiro, pois vários países importavam e exportavam produtos. Milhares de norte-americanos ficaram pobres e miseráveis não tendo até o que comer e sem moradia.
    E para reverter está situação em 1933 o eleito Franklin Roosevelt,
    instalou o acordo 'New Deal". Executando numerosas obras públicas que empregava milhares de americanos, deu alimentos para os pobres e começou a coordenar as decisões políticas. E ao longo dos tempos, o estado econômico dos EUA voltou equilibrado.

    ResponderExcluir
  4. Beatriz Volante 8ªA Nº2
    Com a crise de 1929 os EUA reduziu drasticamente suas importações e os empresários norte-americanos cortaram os empréstimos e os investimentos no exterior abalando a economia dos países que vendiam seus produtos aos EUA e que recebiam investimentos de capitais norte-americanas. Como exemplo o Brasil, que sofreu com a falta de exportações.
    Depois desse acontecimento foram tomadas medidas para que o problema se resolvesse nos EUA foi imposto o New Deal que, pois em prática numerosas obras públicas, e controlou os preços da produção de fazendas e indústrias diminuindo o estoque de produção. No Brasil foi realizada uma solução encontrada por Getúlio Vargas que comprou parte da produção de fazendeiros fazendo que diminuísse o estoque de produtos no mercado.

    ResponderExcluir
  5. História da Crise de 29

    Durante a Primeira Guerra Mundial, a economia norte-americana estava em pleno desenvolvimento. As indústrias dos EUA produziam e exportavam em grandes quantidades, principalmente, para os países europeus.

    Após a guerra o quadro não mudou, pois os países europeus estavam voltados para a reconstrução das indústrias e cidades, necessitando manter suas importações, principalmente dos EUA. A situação começou a mudar no final da década de 1920. Reconstruídas, as nações européias diminuíram drasticamente a importação de produtos industrializados e agrícolas dos Estados Unidos.

    Com a diminuição das exportações para a Europa, as indústrias norte-americanas começaram a aumentar os estoques de produtos, pois já não conseguiam mais vender como antes. Grande parte destas empresas possuíam ações na Bolsa de Valores de Nova York e milhões de norte-americanos tinham investimentos nestas ações.

    Em outubro de 1929, percebendo a desvalorizando das ações de muitas empresas, houve uma correria de investidores que pretendiam vender suas ações. O efeito foi devastador, pois as ações se desvalorizaram fortemente em poucos dias. Pessoas muito ricas, passaram, da noite para o dia, para a classe pobre. O número de falências de empresas foi enorme e o desemprego atingiu quase 30% dos trabalhadores.

    A crise, também conhecida como “A Grande Depressão”, foi a maior de toda a história dos Estados Unidos. Como nesta época, diversos países do mundo mantinham relações comerciais com os EUA, a crise acabou se espalhando por quase todos os continentes.

    A crise de 1929 afetou também o Brasil. Os Estados Unidos eram o maior comprador do café brasileiro. Com a crise, a importação deste produto diminuiu muito e os preços do café brasileiro caíram. Para que não houvesse uma desvalorização excessiva, o governo brasileiro comprou e queimou toneladas de café. Desta forma, diminuiu a oferta, conseguindo manter o preço do principal produto brasileiro da época. Por outro lado, este fato trouxe algo positivo para a economia brasileira. Com a crise do café, muitos cafeicultores começaram a investir no setor industrial, alavancando a indústria brasileira.
    natalia 8ªa nº21

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...